Cartógrafos em desacordo sobre onde colocar a Crimeia

Cartógrafos em desacordo sobre onde colocar a Crimeia

Uma espécie de guerra fria está se formando entre os cartógrafos sobre o que fazer com a Crimeia.

Depois que a tomada da península da Crimeia pela Rússia foi "validada" pelos eleitores no domingo, mas não foi reconhecida pela maioria da comunidade internacional, os cartógrafos estão presos em um dilema sobre se incluem o território na Federação Russa, mantê-lo na Ucrânia ou denotá-lo como disputado.

Na quarta-feira, a National Geographic Society deu o primeiro passo, anunciando que os mapas futuros incluirão a Crimeia como parte da Rússia. José Valdés, geógrafo e diretor de editorial e pesquisa da National Geographic Maps, disse ao U.S. News:

“Mapeamos de fato, em outras palavras, mapeamos o mundo como ele é, não como as pessoas gostariam que fosse. Como você só pode supor, às vezes nossos mapas não são recebidos de maneira positiva por algumas pessoas que desejam ver o mundo de uma maneira diferente. ”

Enquanto isso, Rand McNally, fabricante de mapas educacionais encontrados em salas de aula nos Estados Unidos, afirmou que manterá a Crimeia na Ucrânia, citando o Departamento de Estado dos Estados Unidos como a autoridade máxima em limites territoriais. Na frente digital, o Google Maps atualizou recentemente a renderização da península com uma linha pontilhada vermelha, destinada a transmitir que a propriedade da área está em disputa.

O que você acha - os cartógrafos deveriam mover a Crimeia para a Federação Russa?


Assista o vídeo: Rússia reforça posição na Crimeia